Alma de poeta, alma inquietA

Alma inquieta

Tantas vezes alheada

Outras tantas desperta

Alma de poeta

Não se contenta em viver

Quer mais

Almeja ser, poder, fazer

Observa, pensa, lê

Na verticalidade dos versos que encantam

Pelas pontas dos dedos caem e se derramam

No fundo branco brincam e se procriam

Dão voz e prestígio aos que os declamam

Das experiências vividas

Aliadas à forte imaginação

É um mundo (im)perfeito em si

Um querer sem fim

Querer correr e voar

Uma necessidade do peito

A liberdade resgatar

Alma irrequieta

Um desassossego do coração

Um cérebro frenético

Uma vida que pulsa com e sem razão

Publicado por Sara Carvalho

Chamo-me Sara Carvalho. Sou mãe de três filhos lindos. São a minha grande paixão e inspiração para tentar ser cada dia melhor. Curiosa de raíz, apaixonada pela vida, pela natureza, por música, dança, letras e não só. Adoro artes: ler e escrever - sobre os mistérios da vida, as emoções humanas, Deus, fantasia, suspense, espiritualidade, poesia; musicais; cinema; espetáculos; concertos; teatro; bailado; exposições; fotografia; viajar e ... sonhar com um futuro melhor. Também sou instrutora de Pilates, desde 2006. Um sonho que se transformou num objetivo? Escrever um livro. Consegui! 777 é o seu título. É uma obra de fantasia com muita realidade à mistura. Também gosto de números e enigmas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: