Até quando

Acordaste cinza profundo
Carregado de pedra
Envergonha-nos

Respeito impões
Se nos decidires calar
Explodes em trovões

Quantas serão as preces
Que ecoam no vazio
Quanto será o sangue
Das dores derramadas
Das vidas vencidas
Engoles as espessas almas
Que acima se entregam
Que pelo ódio perderam o ser
Os curvados pelo peso que carregam

O pano estende-se
Chuva brumosa
Paira imóvel
Salpicos de amor
Dispersos pelo vento
Que poliniza o escuro
Com gotículas de cor
Semeando contra a negra maré
Esperança, paz, bondade e fé

Publicado por Sara Carvalho

Chamo-me Sara Carvalho. Sou mãe de três filhos lindos, um deles com Síndrome de Down. São a minha grande paixão e inspiração para tentar ser, a cada dia, melhor. Curiosa de raíz, apaixonada pela vida e pela natureza. Adoro artes: ler e escrever - sobre os mistérios da vida, as emoções humanas, os pormenores; dançar; cantar (só para mim); cinema; espetáculos; concertos; exposições; viajar e ... sonhar com um futuro melhor. Um sonho que se transformou em objetivo: escrever um livro. Consegui! Mais sonhos? Não me faltam...

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: