Há-de passar

Ele:

Volta

Volta para mim

Não me deixes abandonado nos lençóis da saudade

Ainda sinto o teu perfume no ar

Ainda sinto a tua respiração

E o teu corpo colado ao meu

Acordo com a invasão do calor

Tateio para te sentir

Sinto o espaço frio

O que é que ele tem que eu não tenho?

Engulo o orgulho envenenado

Agarro o telemóvel e ligo

Preciso ouvir a tua voz quente

Perguntas quem fala

Tremo por dentro

Mas sem coragem continuo ausente

Ela:

Sei que estás do outro lado

Sinto

Não precisas falar, eu sei

Sentes a minha falta

Porque não sentiste mais cedo?

Porque não me soubeste manter?

Porque não me deste ouvidos?

Agora dói-te

Eu sei

A tua ausência presente também me doeu durante muito tempo

Agora já não

Agora só te tenho numa lembrança distante

Os avisos e sinais são para ser levados em conta

Quem ama cuida sempre

Quando perde já é tarde

Deixa lá…

Há-de passar um dia

%d bloggers like this: