Go for it

Por muita tempestade,chuva e frio que possa haverPor muito mal quete possam quererNada nem ninguémconsegue apagar ou fazerdesaparecer o sol interiorque brilha, ilumina eaquece o teu ser!Basta quereresBasta deixares o teu íntimoser maior e mais forteque o exteriorNão te deixes abater por aquiloque te rodeiaNão deixes de rir,mesmo que sejas o únicoNão deixes de cantarolar,mesmoContinue a ler “Go for it”

Coração pirata

Sou dono do meu coração,o meu coração é dono de mimRaramente me obedeceApaixona-se feito loucoPerde-se e abandona a razãoGosta de aventuras sem fim Eu?Eu queria um amor eterno Ninguém me entendeCondenam-meChamam-me de pirataNão sabem o que sofroDizem que roubo coraçõesOuço o papagaio que repeteconselhos sem fimDeve ser da palaque cega as recomendações Não te apaixonesContinue a ler “Coração pirata”

Com aguarelaspintei um sorriso nos lábiospara disfarçaras lágrimasque teimavam em aparecerElas foram mais fortes,lentamente avançaramEsborrataramo que tentava esconder A felicidade,que se queria permanente,deu lugar à dorA chuva, que escorria torrencial,demonstrava a forçade um coração que,mesmo não querendo, é de cristal

Do it

FazArriscaAceita os desafiosViveAfinal só tens uma vidaE quem melhor do que tu para a viveres?Aceita conselhosOuve, medita, oraDepoisFazFaz o que te der na real ganaO melhor e último conselhoÉ sempre o teuSegue o teu instintoÉ para isso que ele serveAprende a escutar o teu íntimoSe correr malNão poderás culpar ninguémÉs responsávelIrás aprender e crescerNormalmenteTudo acabaContinue a ler “Do it”

Obrigada

Cativaste-me com o luxo das tuasrimasEnvolveste-me na ternura dos teusversosAbraçaste-me com a força das tuaspalavrasEmbalaste-me na melodia dos teuscantosBeijaste-me com a volúpia dos teuspoemasAcarinhaste-me na prosa solta dos teusdedosDespiste-me com a tua sinceridade nuaexpostaAmaste-me nos lençóis de cetim da tuaalmaElevaste-me ao céu com os teus delíriossuspirados – Dedicado a tod@s que me prendem às linhasContinue a ler “Obrigada”

Ruído de fundo

Procurei aceitação alheiaBusquei caminhos infindáveisSondei respostas mudasAumentei o ruído da vidaEvitei escutar os gritos de dentroFugi até não poder maisCamuflei-me descobertaA nascente rompeu o peitoInundou-me por completoEngasguei-meSaiu aos turbilhõesDeixou-me desarranjadaPareiAceitei-meTentei entenderAbraceiRessurgiAgora vivoDespreocupadaOs rumores da noiteJá não me pesam