Vinhe-se

Permita-se brindar consigo mesmo. Permita-se gostar de si, das batalhas ganhas, das marcas sofridas. Aceitar o bom que somos e o mau que fazemos por transformar. Compreender que tudo tem o seu tempo. Sermos mais flexíveis connosco e não levar a vida tão a sério. Perdoar a nós e aos outros; amar a nós eContinue a ler “Vinhe-se”

Pequenos prazeres

Adoro o cheiro de lençóis acabados de lavar. Quando os tiro da corda e ainda vêm quentes do sol, estão apetecíveis. Um aroma que traduz conforto. Semelhante a deitar numa cama acabada de fazer. Uma sensação tão simples e tão prazerosa.Outra que também adoro, é deitar-me na toalha de praia, assim que saio do mar.Continue a ler “Pequenos prazeres”

Vida(s)

Já vivi vidas de mil coresVidas a preto e branco Vidas com mil saboresVidas insossasDoces e salgadas Vivi histórias completasFrases inacabadasInterrogaçõesPontos finaisParágrafos Quero viver Mil vidas em tons de cinzaVidas fluorescentesSalpicos de cor em fundos virgensNéon a piscar numa sala escura Vidas bem temperadasCom sabores de todo o mundoCom gengibre e limãoPicantes e arrepiantes Faltam-meContinue a ler “Vida(s)”

Nem… Há sempre

Nem sempre a vida corre como planeamosNem sempre conseguimos o que imaginamosNem sempre chegamos onde queremos Nem sempre tiramos o curso que imaginámosNem sempre temos a profissão que sonhámosNem sempre nos apaixonamos pela pessoa certa Nem todos os caminhos vão dar a Roma(Em Veneza, por exemplo,vão dar à água)Nem todas as ruas têm saídaNem todasContinue a ler “Nem… Há sempre”

Um dia…

Vou construir uma casano terreno da saúdeno bairro da felicidadena rua da esperançacom vista para o mar Vou plantar árvoresSemear ervas aromáticas e frutos suculentosTerá telhas de prata O sol será Senhor e ReiO brilho dela atrairátodos que por bem vieremAves com penas de mil coresBorboletas com cheiro de delicadas flores Os canteiros perfumam oContinue a ler “Um dia…”

A Pérola – III

Acordou de novo sozinha no escuroCoberta de areia e cansadaNão percebia o que lhe aconteceraDe novo as lágrimas caíram mas desta vez soluçou baixinhopara ninguém incomodarEstava quebradaE sem forças para se lamentarSoterrada entre o póDeixou o tempo passarO sol brilhou mas ela não o acompanhouEstava demasiado enterradaE os raios não a alcançavam Um dia umaContinue a ler “A Pérola – III”

A Pérola – Parte I

No fundo do oceanoUma pérola rara se escondiaEntre búzios, algas e coraisA muitos passava despercebida Mas em dias de céu limpoOs raios de sol perfuravam as águasAo tocarem-lhe na peleO brilho que dela emanavaTudo à volta iluminava Peixes variados eram atraídosPensavam de comida se tratarCaranguejos e cavalos marinhosVinham nela se encantar Mas a noite desciaEContinue a ler “A Pérola – Parte I”