777

O lenço escuro em torno da cabeça cobria os longos cabelos negros. Além do barulho dos cascos, que amassavam a terra fresca, ouviam-se barulhos vindos de dentro das árvores que, naquela altura, se aglomeravam de tal forma que parecia estar a atravessar uma densa e longa floresta. Mas não. Era apenas o maior oásis. AsContinue a ler “777”

Podia

Podia ter sido o que queriasPodia ter sido o que os meus pais desejavamPodia ter sido o que os outros achavamPodia… Raramente somos tudo o que esperam de nós(E se somos não estamos a ser verdadeiros)Porquê?Porque não há uma única pessoa igual a outraNão existem duas mentes iguaisNinguém vê a vida da mesma formaLogo, ninguémContinue a ler “Podia”

IV Encontro Mulherio das Letras Portugal

Não podia deixar de partilhar convosco o meu fim de semana literário. No lindo Palácio Baldaya o programa do Mulherio das Letras Portugal encerrou as celebrações, dia 29 de maio, com o lançamento da Colectânea com o mesmo nome. Este movimento iniciou-se no Brasil, quando a escritora Maria Valéria Rezende criou o Mulherio das LetrasContinue a ler “IV Encontro Mulherio das Letras Portugal”

A Pérola – II

De tão cansada adormecia Só acordava Quando os raios lhe tocavam De novo o brilho resplandecente A todos voltava a atrair Um dia um mergulhador Ao vê-la quieta a cintilar Apanhou-a e numa caixinha dourada fez questão de a levar Estimou-a e mostrou-a A tantos quantos se lembrou Mas um dia esqueceu-se E ela guardadaContinue a ler “A Pérola – II”

Se os pensamentos afetam a frequência da água, imagina o que fazem ao teu corpo. Sendo que o nosso corpo é constituído maioritariamente por água, assim como o planeta, então devemos prestar atenção aos nossos pensamentos e sentimentos. Masaru Emoto, um pesquisador e cientista japonês, fez várias experiências em que submetia a água a diferentesContinue a ler

Já não serve? Muda.

O tempo passa, como a água de um rio que flui em direção ao mar. Quando desagua já não é a mesma, nem volta a passar nos mesmos lugares. Com o avançar da idade e da vida, nós também vamos mudando e as experiências e os lugares por onde passamos não se repetem, mas alteram-nos.Continue a ler “Já não serve? Muda.”

O beijo

Deixa-me encostar os meus lábios aos teusSentir a maciez polposaO sabor de uma bocadoce como figos de melVermelha rosada enfeitiça-meNela os meus olhos fixam-seNada oiço do que dizesDisperso-me do contextoSinto-me a desligarSou embalada na dançadas palavras que se tornam melodia hipnotizanteO desejo cresceProvoca-meágua na bocaO mundo paraO coração exigeApenasQueroPrecisoBeijar-te

Salto de flor em florQual bailarina borboletaSalpicando as pontas rosaCom brilho douradoO pólen espalha-seChega-me ao narizFaz-me comichãoE rebento em gargalhadasÉ que este pó é mágicoDeixa felizes todos os que lhe tocamO sol aquece-me as asasE sinto a energia a crescerOiço a música dos rouxinóisDão-me alento para seguirVoo e salto para dentro de uma papoilaAo aterrarContinue a ler