Nem… Há sempre

Nem sempre a vida corre como planeamosNem sempre conseguimos o que imaginamosNem sempre chegamos onde queremos Nem sempre tiramos o curso que imaginámosNem sempre temos a profissão que sonhámosNem sempre nos apaixonamos pela pessoa certa Nem todos os caminhos vão dar a Roma(Em Veneza, por exemplo,vão dar à água)Nem todas as ruas têm saídaNem todasContinue a ler “Nem… Há sempre”

A MAR

Hoje abracei o marRecebi-o de braços abertosVestida com um sorriso largoEntreguei-meDeixei que ele tomasse conta de mimPermiti que me envolvesse o corpo e a almaAceitei a ondulaçãoAbsorvi a frescuraSenti-lhe a cadênciaCada ondaCada pulsarSaboreei-lhe o temperoEnvolvi-me de sal e espumaInebriei-me com a sua beleza e profundidadeDeixei a areia vaguear-me na peleJuntos éramos um sóDespedi-me e consentiContinue a ler “A MAR”

Um dia…

Vou construir uma casano terreno da saúdeno bairro da felicidadena rua da esperançacom vista para o mar Vou plantar árvoresSemear ervas aromáticas e frutos suculentosTerá telhas de prata O sol será Senhor e ReiO brilho dela atrairátodos que por bem vieremAves com penas de mil coresBorboletas com cheiro de delicadas flores Os canteiros perfumam oContinue a ler “Um dia…”

Prémio ‘Melhor Livro de Fantasia 2022’ Cordel d’Prata

Não podia deixar de partilhar com vocês, meus amigos, este sonho tornado realidade. O meu livro 777 estava nomeado pela Editora Cordel d’Prata, na categoria de Melhor Livro de Fantasia 2022, e foi o vencedor! Na Gala de Autores, que decorreu sábado à noite, tive a honra, o privilégio e o orgulho de receber esteContinue a ler “Prémio ‘Melhor Livro de Fantasia 2022’ Cordel d’Prata”

777

Aos primeiros raios de sol começaram a vislumbrar ao longe a areia. O brilho dourado espreitava por entre os verdes e convidava-os a avançar. À medida que a vegetação ia ficando para trás e a areia começava a avançar, a sensação de proteção ia, também ela, fugindo. O vazio era cada vez maior. Quanto maisContinue a ler “777”

Podia

Podia ter sido o que queriasPodia ter sido o que os meus pais desejavamPodia ter sido o que os outros achavamPodia… Raramente somos tudo o que esperam de nós(E se somos não estamos a ser verdadeiros)Porquê?Porque não há uma única pessoa igual a outraNão existem duas mentes iguaisNinguém vê a vida da mesma formaLogo, ninguémContinue a ler “Podia”

IV Encontro Mulherio das Letras Portugal

Não podia deixar de partilhar convosco o meu fim de semana literário. No lindo Palácio Baldaya o programa do Mulherio das Letras Portugal encerrou as celebrações, dia 29 de maio, com o lançamento da Colectânea com o mesmo nome. Este movimento iniciou-se no Brasil, quando a escritora Maria Valéria Rezende criou o Mulherio das LetrasContinue a ler “IV Encontro Mulherio das Letras Portugal”

A Pérola – III

Acordou de novo sozinha no escuroCoberta de areia e cansadaNão percebia o que lhe aconteceraDe novo as lágrimas caíram mas desta vez soluçou baixinhopara ninguém incomodarEstava quebradaE sem forças para se lamentarSoterrada entre o póDeixou o tempo passarO sol brilhou mas ela não o acompanhouEstava demasiado enterradaE os raios não a alcançavam Um dia umaContinue a ler “A Pérola – III”

A Pérola – Parte I

No fundo do oceanoUma pérola rara se escondiaEntre búzios, algas e coraisA muitos passava despercebida Mas em dias de céu limpoOs raios de sol perfuravam as águasAo tocarem-lhe na peleO brilho que dela emanavaTudo à volta iluminava Peixes variados eram atraídosPensavam de comida se tratarCaranguejos e cavalos marinhosVinham nela se encantar Mas a noite desciaEContinue a ler “A Pérola – Parte I”

Salto de flor em florQual bailarina borboletaSalpicando as pontas rosaCom brilho douradoO pólen espalha-seChega-me ao narizFaz-me comichãoE rebento em gargalhadasÉ que este pó é mágicoDeixa felizes todos os que lhe tocamO sol aquece-me as asasE sinto a energia a crescerOiço a música dos rouxinóisDão-me alento para seguirVoo e salto para dentro de uma papoilaAo aterrarContinue a ler