Tonto, sem noção ou feliz?

Às vezes, escrevo e publico coisas sérias, noutras apenas fruto da imaginação, pensamentos, observações e, também, brincadeiras leves ou apenas parvoíces. Há quem não goste dessas misturas, há quem ache que não tenho noção. Se é a sério é a sério. Tontices ou unicórnios pelo meio é que não! Pergunto-me: Pode alguém ser respeitado seContinue a ler “Tonto, sem noção ou feliz?”

O mistério dos objetos vivos

Existem três acontecimentos, em particular, que ainda me espantam e deixam intrigada. São eles: as tampas dos tupperwares que desaparecem, os fios que se enrolam e as meias sem par. Tenho um armário para guardar tupperwares, aos anos que é o mesmo, mas, noto que alguns perdem a sua cobertura. Quando precisamos de um recipienteContinue a ler “O mistério dos objetos vivos”

Viver ou viver, eis a questão!

– Não vou estar com rodeios, não há uma forma simpática de dizer-lhe isto… – Vou morrer, Doutor? – Sim. Restam-lhe poucos dias de vida. E uma bomba parece explodir dentro de quem recebe a notícia. E agora? Começa-se a pensar no que fazer e a vida passa em frente aos olhos, qual filme, emContinue a ler “Viver ou viver, eis a questão!”

Cá estamos

Há uma expressão que me atrai e repulsa, ao mesmo tempo. É uma frase que não diz absolutamente nada, mas preenche um espaço em branco. Nem se está bem, nem se está mal, mas cá estamos ou cá andamos. Como quem diz que está vivo, mas não muito. Anda cá por andar. Acho uma dasContinue a ler “Cá estamos”

Amor Entre Adultos

Amor Entre Adultos é um filme que está no top 10 da Netflix, em Portugal. De origem dinamarquesa, é baseado num livro homónimo. O título original é Kærlighed for voksne e foi escrito por Anna Ekberg, em 2018. Em português o título não lhe faz jus. Parece o nome de um filme pornográfico. Não é.Continue a ler “Amor Entre Adultos”

Família (in)feliz

Há uns anos, na época em que os restaurantes chineses ainda estavam na moda, existia no menu um prato chamado “Família feliz”, que ainda se tornava mais divertido quando dito pelo “emplegado”. Era uma combinação de diferentes ingredientes, cores e sabores distintos, que, unidos pelo mesmo molho, faziam o deleite de quem o escolhia. CadaContinue a ler “Família (in)feliz”

Balanço

Em jeito de resumo, destes seis meses de 2022, ficam-me alguns assuntos que sobressaíram e fizeram-me escrever este artigo. O primeiro, claro, a covid-19, e as suas múltiplas variantes, e consequências nefastas. Aprendemos a conviver com esta praga e a assumi-la como parte integrante das nossas vidas. Ainda a recuperar de dois anos atípicos, aContinue a ler “Balanço”

Não havia necessidade

Considero-me uma pessoa tolerante, que respeita os outros e aceita diferentes formas de viver. Não me acho superior ou melhor que ninguém e por isso não gosto de fazer juízos de valor. Nem aos meus filhos gosto de dar sermões, mas há certas situações que me irritam e levam a que, em certos dias, euContinue a ler “Não havia necessidade”