LIBERDADE A QUANTO OBRIGAS

No artigo 11º da Carta dos Direitos Fundamentais da UE, sob o título «Liberdade de expressão e de informação», podemos ler o seguinte:  1. Qualquer pessoa tem direito à liberdade de expressão. Este direito compreende a liberdade de opinião e a liberdade de receber e de transmitir informações ou ideias, sem que possa haver ingerênciaContinue a ler “LIBERDADE A QUANTO OBRIGAS”

Quantas Jéssicas?

É impossível não sentir dores no estômago com os murros que nos atingem vindos das notícias. Ao fim de seis meses, Inês Tomás é detida, indiciada pelo homicídio da filha – Jéssica Biscaia, a mais nova dos seis filhos que esta mulher teve. Quatro deles a viver com familiares e a mais velha institucionalizada, aContinue a ler “Quantas Jéssicas?”

FaZer o quê?

Ontem, enquanto lanchava num café, assisti a uma situação, um tanto ou quanto, desconfortável. Estava uma senhora em pé, em frente à vitrine, a aguardar o seu pedido quando, entretanto, chegou uma outra que ficou de lado junto à montra do pão. Passado pouco tempo, ouvi-a a cumprimentar a que já lá estava e aContinue a ler “FaZer o quê?”

Tonto, sem noção ou feliz?

Às vezes, escrevo e publico coisas sérias, noutras apenas fruto da imaginação, pensamentos, observações e, também, brincadeiras leves ou apenas parvoíces. Há quem não goste dessas misturas, há quem ache que não tenho noção. Se é a sério é a sério. Tontices ou unicórnios pelo meio é que não! Pergunto-me: Pode alguém ser respeitado seContinue a ler “Tonto, sem noção ou feliz?”

Não havia necessidade

Considero-me uma pessoa tolerante, que respeita os outros e aceita diferentes formas de viver. Não me acho superior ou melhor que ninguém e por isso não gosto de fazer juízos de valor. Nem aos meus filhos gosto de dar sermões, mas há certas situações que me irritam e levam a que, em certos dias, euContinue a ler “Não havia necessidade”